segunda-feira, 16 de março de 2009

preguiça de tudo



Quem nunca teve preguiça de tudo?... Eu já tive e tenho, vez por outra: de trabalhar, falar, andar, comer, tomar banho. Aliás, é preciso fazer um reparo. Acho que essa palavra foi inventada para criar drama moral nas pessoas. "É feio ter preguiça!" é coisa de senhor de escravos. E se fôssemos realmente mais ecológicos, saberíamos que se trata de necessidade de descansar, de relaxar, tal como fazem os outros animais chamados bichos. O gato. Como ele relaxa e dorme... Não tem torcicolo, nem dor nas costas, nem tendinite, nem o tal estresse. Os pássaros costumam planar lá em cima: ficam de asas abertas, sem voar, bem paradinhos, e também pousam nos galhos. Os orientais pelo menos aprenderam a imitar os gestos dos animais e fazem isso de manhã, nas praças, nos bosques. Imitam aves, tigres, macacos. Mas a civilização do trabalho está aí, com tensão lombar, fazendo reeducação postural e fisioterapia. Bem entendido: quem pode... Quem não pode se sacode, literalmente, para... para passar a 'preguiça' e esquecer a dor do músculo.

Como são 11 da noite, posso declarar: neste momento estou com preguiça até de sonhar... Então tomo emprestado um verso da maravilhosa Teresa Vergani (poeta, teóloga, pintora, matemática, sábia...), portuguesa de espírito sem pátria:

"A diferença entre os homens e as árvores é que as árvores crescem enquanto os homens correm".

E correm não sei pra onde, não sei de quê...

2 comentários:

  1. É um prazer ler textos de pessoas VIVAS, que pensam, que olham o mundo, que se expõem sem escândalos, que dignificam o hábito da leitura.
    É muito bommmmm ler gente que é gente, mulher que não esconde a sua feminilidade, que escreve sorrindo e até com preguiça.
    Obrigada, por escrever e não esconder sua obra.

    Muita Paz, muita Luz

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Izilda. E feliz de quem tem leitores como você... Tenho o leitor, nesse caso, como um co-autor, pois ele ajuda a 'revelar' o texto e descobre dimensões que o/a autor/a desconhece. Sem contar que é a grande força estimulante de quem escreve. Escrever é um exercício solitário, mas se torna algo solidário quando alguém dá retornos assim.Muito obrigada. Conto com seus passeios por aqui, sempre! Abraço!

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes