sábado, 19 de setembro de 2009


um lado alado

o outro, abismo

mas é na asa

o sismo

4 comentários:

  1. Obrigado, Nivaldete, pela visita e comentário. Concordo que o nome Bárbara é bárbaro. Faz algum tempo participei como jurado de um concurso de dramaturgia da Capitania das Artes que elegeu vencedor seu texto infantil. Também gosto imensamente de um poema seu publicado naquela coletânea de Aires Marques "Um dia a poesia" (1995). Tem um verso lindo que diz mais ou menos assim: "Essas coisas gêmeas, essas coisas fêmeas de que são feitos todos os poemas". Você tem esse poema digitalizado? Se sim, por favor, envie para pjdumaresq@hotmail.com, pois faço questão de publicar no blog. Abraço e parabéns pelo poema postado em 19.09.2009

    ResponderExcluir
  2. Ah, bom saber que você estava na comissão... Continua inédito o texto. Sobre o poema, enviei por e-mail. Estou feliz pela aproximação, repito. Obrigada. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. olá Nivaldete! o post de hoje tem a ver com o teu poema ;)

    um grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Sim, Almariada... Viver em estado de asa tem lá seus abismos... Um abraço alado.

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes