quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Mi(ni)stério das palavras



Às vezes é assim: elas não querem comparecer... Escolhem descansar no sem-lugar do silêncio.
Vou devagar... Espio. Vontade de soprar uma gaita de taquara, que comprei de um índio na última feira internacional de artesanato, aqui. Quem sabe, as enfeitiço. Não, não vai adiantar, desisto. Elas vão se enfurecer, não sei tocar esse instrumento. Mal sei tocar o teclado do PC. É nele que as convoco e as retiro da Possibilidade para o Ato, e com elas dou alguma forma ao caos cá de dentro. Mas hoje elas estão roucas, birrentas e malcriadas. E esfriadas. Criaturinhas malucas! Volúveis! Bipolares! Abandonantes de maiores que as tem como companhia mais constante! Então me deixam assim, sem cais nem Vênus?...
...

Talvez eu tenha de fazer outra coisa: olhar os descascados da parede, golejar o vento mais bem in-ventado por estas bandas: o de agosto a setembro. Mas vou lá de novo, feito criança que quer acordar a mãe, aí passa a mão no seu cabelo, assim assim...

Uma me olha e me joga uma dura interjeição, com rapidez maior que a de Muntazer al-Zaidi jogando seus sapatos em Bush.

-Nem doeu!, me vingo.

-Hoje não fazemos blog-blog no seu teclado. Estamos bem decepcionadas e mal recepcionadas. Pensa que somos escravas? Vamos acionar o Ministério das Palavras!

-E eu vou acionar o Mistério das Palavras.
-...

Depois se enche de dengo.

-Pelo menos cante pra nós...

-Canto... "Outras palavras... Outras palavras"...

-Cante mais...

-Oito palavras... Outonais palavras... Outrora palavras...

...Oitavas palavras..
. Octogonais palavras...

8 comentários:

  1. Elas foram mágicas, meigas, malucas, maravilhosas palavras, que chegaram dançando mirabolantemente por aqui! Abraços, Maria Teresa

    ResponderExcluir
  2. Oh, que belo retorno... Obrigada!Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Quando elas não querem comaprecer, não comparecem. Não foi o que aconteceu aqui.
    Belo texto!

    ResponderExcluir
  4. Adorei...se a "falta de inspiração" assim me inspirasse!

    ResponderExcluir
  5. ...sinal de que o escrever depende do começar (também)... mesmo quando faz escuro... Um abraço afetuoso pra vocês

    ResponderExcluir
  6. Essa sua falta de palavras (ou seria revolta) me enche de alegria e encantamento, isso sim! beijos, minha feiticeira.

    ResponderExcluir
  7. As palavras brincam de se esconder, vão descansar "nos descascados da parede"... E vivas, são operárias da construção poética. Bela invenção, De(l)ta.

    ResponderExcluir
  8. Mme. S. e Francis: a palavra ABRAÇO pra vocês. E outra: BEIJO!

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes