sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

curva turva



o melhor da vida pode não ser o livro
mas o encarte

alguma imprevista
arte

roupa que foge do varal

vento inventado
no íntimo das pedras

o universo adormecendo
no coração mínimo da uva

e em vez da clara reta
a curva turva

11 comentários:

  1. paisagem fordiana
    poesia nivaldeteriana


    beijos & abraços

    ResponderExcluir
  2. Arte esculpida no tempo. Dá impressão de carvoaria, olaria, caieira, de ser tudo pisoteado. Necessariamente não é deserto. Lindo!

    ResponderExcluir
  3. Caríssimo Moacy, ótima surpresa encontrar seus sinais por aqui... Essa imagem, ah, puxei do arquivo de um bichinho de 10 polegadas, já que o PCzão enguiçou, e é lá que guardo minhas imagens... "nivaldeteriana"... Uma porção "eteriana"?... Um beijo rosado na barbabranca.

    ResponderExcluir
  4. A imagem,sim, a immagem... É bonita mesmo. Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Nivaldete:
    Vieram-me à tona as entrelinhas de tudo o que lemos... os imprevistos surgidos a partir delas. Texto lindo. Bjos

    ResponderExcluir
  6. É bom quando a roupa foge do varal..., às vezes é bom! beijos, Maria Teresa.

    ResponderExcluir
  7. "Vento inventado no íntimo das pedras" é incrível!

    ResponderExcluir
  8. Mme. S. e Almariada: um beijo pra vocês!

    ResponderExcluir
  9. De perto nada é normal, até mesmo a "clara reta" que pode ser a "turva curva" se observarmos mais e melhor.
    Isso é o bom da vida.
    Ótimos sinais poéticos.

    ResponderExcluir
  10. Querido Paulo,
    Obrigada pela visita. Você sabe das coisas...
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes