domingo, 7 de março de 2010

mulher


mulher grita, cala, arrulha

conserta alma rasgada

-é sua porção agulha


quando irremediada

arranja força e mata os números:

divide inexistentes

pratos cheios de nada

ainda assim alimenta

11 comentários:

  1. Parece que tô vendo você dizendo essa poesia... é mesmo a sua cara!!!

    Parabéns pelo nosso Dia!

    ResponderExcluir
  2. INCRÍVEL! Simples & Belo... Essencial em cada palavra... E diz muito... E diz tudo!

    Parabéns querida Nivaldete... Mulher, todos os dias; todos os dias artista! Poeta e mestre do dia-a-dia!

    ADORO-A!

    ResponderExcluir
  3. Oh, Civone... Você é que é uma MULHER SUPERLATIVA. Uma bela ARTrEvida.Curto demais suas arrancadas criAtivas...Um beijo! E parabéns por hoje e amanhã e deposi e sempre....

    ResponderExcluir
  4. Ah, a poesia inda resiste, pelo menos em algum lugar. Parabéns, grande Niva!
    Abraço do Lycurgo.

    ResponderExcluir
  5. Que prazer, Lycurgo,em receber sua visita aqui!... Obrigada e um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Nivaldete, querida, que belo poema! Como é bom te ler! Parabéns!
    Voltarei e voltarei e voltarei... rsrsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, grande Cláudia! É pra nós, por nós, amém... Beijo, moça sensível!

    ResponderExcluir
  8. Esta poesia mostra de forma singela a força da mulher!
    Parabéns Nivaldete!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nivaldete:
    O poema arrebatou o jeito agulha da mulher e espelhou com esmero sua alma plena de amor.
    Qua maravilha!
    Beijos

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes