sábado, 17 de abril de 2010

dez tinos




e mandou dizer assim:
gastei meus dez tinos
contigo

agora gasto o destino
comigo

15 comentários:

  1. Ótimo jogo, Nivaldete.
    Aqui você é artilheira.
    Não desatina.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Paulo... É sempre honroso receber sua visita neste incerto espaço. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. julgo que atinar, e portanto também tino, vêm de Atena, que em grego se diz Αθηνά... ;)
    um grande abraço, Nivaldete

    ResponderExcluir
  4. Oi Nivaldete, tenho lido e visto seus poemas e fotografias. Só agora deu para deixar um recadinho. O seu blog é maravilhoso e cheio de novidades.
    Te amo mulé.
    Um xero
    Elizete Arantes

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Almariada, pela informação... As palavras viajam no tempo...

    Elizete, que boa surpresa! Sorri com esse "te amo mulé"... Você é demais, no melhor sentido.

    Borges, obrigada também pela visita.
    Um abração imenso a vocês!

    ResponderExcluir
  6. venho há tempos tentando postar um comentário
    aqui. conseguirei hoje ?

    ResponderExcluir
  7. consegui quando postei como anônimo. menos mal. meu nome é niguém.

    ResponderExcluir
  8. Caríssimo Anônimo (pelo menos por enquanto), não sei a razão de você não conseguir postar... Será que é necessário ter gmail?... Talvez seja isso. Seja como for, obrigada pela visita. Volte sempre! Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Você é a autora dos hai-cais que eu não escrevi.Como esta flor, Nivaldete:

    meu tédio
    teu assédio
    meu remédio

    ResponderExcluir
  10. Ahhhhh... acho que sei quem é você, Anônimo. Fique à vontade.

    ResponderExcluir
  11. Adoreiiiiiiiiiiii seu trocadilho Nivaldete. Lindo!

    Vou salvá-lo assim como o link, a origem e o crédito, e dia desses, quem sabe o tempo me permite acordar o Lobo para dar um passeio nas Estepes da vida - http://www.lobodas.estepes.com.br , e te peço para pô-lo lá.

    Grande abraço e parabéns.

    Jorge

    ResponderExcluir
  12. Obrigada pela visita, Lobo das Estepes. Gasta-se o destino de várias maneiras. Postando um poema e encontrando leitores atentos, como você! Um abaraço!

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes