quarta-feira, 16 de junho de 2010

o camelo, o leão e a criança de Nietzsche

Vez por outra retorno a essas alegorias; é inevitável. Estão em Assim Falava Zaratustra ( O Espírito das Três Transformações).
O camelo representa aquele que se restringe ao "eu devo", obedece, vive sobrecarregado e disso se ufana. É a sua glória, ainda que se esgote e morra disso, sem ter conhecido a existência.

O leão, em vez de "eu devo", diz "eu quero". Combate, rasga com as unhas o próprio caminho mas vive segundo o que escolhe, tem um programa.

A terceira transformação é significada pelo espírito da criança e está além disso tudo. Representa o autocontentamento, a inocência -que não deve ser tomada como modo ingênuo/tolo de estar no mundo, mas como espontaneidade, ausência de julgamentos, liberdade, 'esquecimento'. Aqui é possível criar, e em sentido amplo, pois não se está colado a normas, a conceitos petrificados. A criança, pensada idealmente, é não-luta, abertura. Arrisco-me a dizer: vive o Tao, se na roda deste signo -que tudo e nada abrange- cabe o acontecimento não forçado, não programado, apenas acontecimento...
Como em Van Gogh, que dizia "eu não procuro, acho". Picasso também.

(Nietzsche, afinal, era um conhecedor da tradição oriental. Seu livro Aurora traz como epígrafe versos do RigVeda -se não estou enganada-, sem esquecer o nome "Zaratustra", inspirado no Zoroastro persa, sabemos todos)

6 comentários:

  1. Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Virei mais vezes.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Post divino, Nivaldete.
    Nietzsche é o "cara".
    O Rig-Veda foi citado por Augusto dos Anjos no poema "Agonia de um filósofo":
    "Consulto o Phtah-Hotep. Leio o obsoleto. Rig-Veda. E, ante obras tais, me não consolo."
    Viva o Espírito das Três Transformações.
    A sua arte também transcende.
    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Que bom, Paulo, que você também gosta de Nietzsche. Levada por algo que trato como 'instinto de leitura', li-o aos 16, em Nova Palmeira, mandando buscar pelo Correio às Edições de Ouro. Ainda tenho o velho exemplar de Assim falava Zaratustra...
    Obrigada pela visita e pelo sempre bom acolhimento! Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Vou só assinar embaixo o que disse o PJD.
    Beijos, S.

    ResponderExcluir
  5. Sheyla,
    Então pegando carona, hein?... rsss... Obrigada, poeta & peralta! Grande abraço!

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes