terça-feira, 13 de julho de 2010

esse formidável amor

em tempos de reencenação de crimes nas TVs,  quando o sangue piche da violência é repetidas vezes derramado na tela  para que o vejam adultos, jovens e crianças,  faz bem ver algo que evoque as sutilezas do amor, por lugares incertos deste planeta.

faz algum tempo, vi, também pela TV, uma bióloga numa gruta fazendo maternagem a filhotes de morcegos que estavam sem mãe, sabe-se lá por quê. Não me lembro.

hoje, vi no canal History: a egiptóloga tratava com tal encantamento o seu obejto de estudo que ele já não era um objeto de estudo mas um objeto de amor. "Esplêndido", "maravilha", dizia enquanto deslocava cuidadosamente a lupa para lá e para cá, examinando detalhes, descobrindo sentidos, adivinhando razões para isto e para aquilo. Gestos não puramenre técnicos, mas amorosos, de respeito pelo passado do "objeto", retirado dos solos fundos do tempo para um retorno à claridade.

será um amor vão, em ambos os casos? Melhor seria dá-lo a crianças abandonadas?...

Mas o Amor ama tudo. Há corações para todos os amores.


Para os morcegos e para o que, um dia, foi um ser humano, amou e foi amado. Se não foi, está sendo agora.
Sim, a múmia da egiptóloga...

8 comentários:

  1. Filhotes de morcego? É de pasmar... Mas se o "objeto do Amor" causou pelo menos desconforto, foi pretexto maravilhoso para sua reflexão: "o Amor ama tudo e há corações para todos os amores". Não pode haver dimensão mais cheia de ternura que essa; ainda bem que é assim!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post. Realmente, chega das notícias caóticas de sempre. O coração precisa mesmo é de algum tipo de acalanto.

    Sinto-me lisonjeado pelo comentário gentil em meu blog; especialmente por vir de uma colega blogueira e escritora profissional. Conheci o Lápis Virtual durante sua fala no CLEO - Colóquio de Leituras Orientadas, na UFRN. Também sou aluno de lá, do curso de Letras.

    No mais,
    tenha um bom dia.
    Cuide-se.

    ResponderExcluir
  3. Maria Teresa, fiquei pasma realmente. A moça dava uma pequena mamadeira aos filhotes (vi no History). Foi "um tapa na cara"... Parece que tinha havido uma matança geral de morcegos, daí a tentativa de preservação dos filhotes. Presto muita atenção a esses gestos, pois a mídia divulga mais a matança que a salvação...
    Beijo pra ti.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo,
    também eu...
    estamos salvos!

    ResponderExcluir
  5. Que boa surpresa, Diêgo!
    E o curso de Letras tem um excelente aluno/professor...

    Visitemo-nos sempre nas varandas blogais.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Sheyla,
    a gente vai aprendendo com os Mestres...
    um beijo.

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes