domingo, 1 de agosto de 2010

...porque não sou mar

 

 O que murmura o mar tão continuamente?


ao esgotar-se
a onda apenas cospe
uma primeira sílaba
e as próximas jamais
completarão qualquer palavra


escrevo porque não sou mar

muito menos montanha


tenho o defeito da escrita
que não consegue ser água
funda nem altura,
só rasura

escrevo porque sou frágil,
frásil

Praia de Búzio-RN


14 comentários:

  1. Uma forma muito bonita de retomar a imagem do mar e relacioná-la com a escrita. Que bela idéia a da primeira sílaba cuspida pela onda.

    Saudações!

    ResponderExcluir
  2. Cara Nivaldete,

    Cometi o atrevimento de colher um fruto-poema seu e colocar lá no meu Teorema.

    Espero que goste.

    Abraço.

    Lívio

    ResponderExcluir
  3. Citando o compositor popular: "O resto é mar. É tudo que eu não sei contar".
    Nem escrever.
    Belo, belo.
    A foto saiu também no capricho.
    Enfim, ótimo início de domingo.
    Grandes realizações poéticas, amiga.

    ResponderExcluir
  4. Lívio, só posso ficar feliz!
    Colha sempre aqui o que apetecer.

    Um abraço.


    Paulo,
    Obrigada, amigo, pela visita simpática.
    Boa semana. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Marcantonio, fecundo recriador da Melancolia de Dürer, seja bem-vindo sempre!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. "escrevo porque não sou mar" é poesia para mais de metro...
    só essa frase faz ganhar a semana!
    beijos flor!

    ResponderExcluir
  7. que bom que o verso entusiasmou você... Não foi em vão.
    beijos pra cê também.

    ResponderExcluir
  8. Esse é o defeito mais perfeito que você tem! Escreve porque é frásil e ainda borda as palavras nas águas do mar... Melhor não há!
    Beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  9. Oh Maria Teresa..., "melhor não há" que um tal mimo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Pois é, tantas falas misturadas, pesadas de sal, arrastando as dores do mar? "Cospe a primeira sílaba". É poesia até debaixo d'água. Bjs

    ResponderExcluir
  11. a primeira sílaba que uma onda pronuncia é a belíssima NI, depois a valorosa VAL, a suavíssima DE e a espelhante TE.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo,
    Que bela invenção... ... nem tenho mais palavras, só emoção.

    ResponderExcluir
  13. A linguagem do mar só a entendem os pássaros marinhos...
    Um beijo.

    ResponderExcluir

Escreva aqui na parede seu comentário. Venho ler depois.Obrigada.

Divulgue seu blog!
Informe o código: 956
Faça pontos, ganhe brindes